Como eliminar a autossabotagem com 5 dicas que funcionam

Você já parou para pensar, seriamente, no que é autossabotagem?

Já pensou porque existem algumas áreas em sua vida em que você encontra muita dificuldade de romper? 

Aquela sensação de estar andando em círculo, meio que acorrentado…

Pode parecer estranho, mas muita gente se sente assim. 

Todos temos barreiras que parecem ser bem mais desafiantes do que outras.

E neste artigo você aprenderá porque isso ocorre, como romper com isso. Você verá agora:

– o que é a autossabotagem e as crenças limitantes,

– como elas se originam em sua vida,

– como identificá-las  com paciência e reflexão,

– e no final vou lhe mostrar uma estratégia magnífica, que realmente ajuda a nos libertar dessas crenças limitantes.

Preparado?

Então continue a leitura, pois tem muito conteúdo bom e transformador. Se colocado em prática, tenho certeza, tem o potencial de mudar sua vida. Confira!

auto sabotagem, crenças limitantes

Você é o que pensa ser

 

O que importa é o que você pensa a respeito de si próprio,

e não realmente o que você é.

Nuno Cobra 

Pode parecer bobagem para muita gente, mas aquela antiga máxima: somos o que pensamos, continua verdadeira. Aliás, essa é uma verdade universal que jamais sairá de moda.

De fato, os padrões de pensamento têm o poder de moldar o destino de uma pessoa.

É possível construir uma vida gratificante e uma vida desastrosa, dependendo das crenças que carregamos – conscientemente ou não.

Você deve conhecer pessoas super bondosas e esforçadas que parecem colecionar tragédias e fatalidades na vida. E outras que são egoístas, excessivamente vaidosas e arrogantes que conseguem sucesso em muitos de seus empreendimentos.

Por que isso acontece? Principalmente por causa de suas crenças pessoais.

Se pudermos nos assentar com elas e mapear seus pensamentos veremos que aquelas que são positivas e creem que merecem sucesso e felicidade, normalmente alcançam seus objetivos.

E isso não está diretamente relacionada às suas intenções (o que pretendem fazer).

Por exemplo: um esportista vaidoso e egocêntrico pode construir uma carreira vitoriosa, ter bons filhos, alcançar o estrelato e desfrutar de boa saúde, se crer verdadeiramente que merece tudo isso. Ainda que não seja um profissional excelente. Cansamos de ver isso no futebol!

Por outro lado, um aspirante a atleta profissional super talentoso pode jamais passar de um simples aspirante. Pois sempre carrega em si medo e ansiedade. Alimenta dúvidas quanto ao seu potencial e pode sentir-se injustiçado sempre que é reprovado em um teste seletivo.

O fato é que uma pessoa positiva e autoconfiante tem muito mais chance de ser feliz e ter uma vida marcada por boas realizações.

Isso porque ela se sente merecedora. Ela acredita piamente que sua vida deve ser marcada por bons acontecimentos, pois merece cada um deles.

É claro que somente acreditar não adianta muito. É preciso fazer por onde,  por a mão na massa. Porém, trabalhar com um inimigo na cabeça, sabotando todos os esforços que fazemos pode gerar um círculo vicioso de pessimismo e estagnação.

E do que se trata essa tal sabotagem? Como fazemos isso e como podemos evitar esse inimigo íntimo?

Estudemos mais a fundo.

autossabotagem, crenças limitantes, eft

A autossabotagem

Se você acha que pode,

Ou se acha que não pode,

de qualquer forma você está certo.

Henry Ford

Lembro-me perfeitamente quando estava na faculdade e uma amiga sempre me dizia: Cintia, pare de se sabotar.

Na época eu não entendia com profundidade sua mensagem. Porém hoje, passado alguns anos, percebo com clareza o que essa grande amiga tentava me ensinar.

Um dos maiores inimigos que podemos ter, e que dorme conosco, almoça na nossa mesa e nos acompanha em tudo que fazemos, são os pensamentos de autossabotagem.

Eles são invisíveis, mas tão reais que chegam a ser sufocantes.

A autossabotagem é a sensação, consciente ou não, de que não merecemos aquilo que realmente desejamos.

É um sentimento discreto de inadequação. Algo que nos diz que não estamos preparados, que somos indignos ou que, de alguma forma, não é justo que alcancemos o que tanto sonhamos.

Não é algo escancarado que diz: NÃO, VOCÊ NÃO MERECE! É algo sutil, que sempre oferece “boas desculpas” para continuarmos fracassando. 

E muitas vezes esses sentimentos autossabotadores se escondem nos porões de nosso subconsciente.

O efeito prático disso é que nunca conseguimos romper em alguma área de nossa vida: seja em termos de saúde, nos relacionamentos ou nas finanças.

Sempre que parece que tudo vai dar certo, acontece algo para atrapalhar. É incrível!

Mesmo que você siga um manual, faça o passo a passo para o sucesso, pimba, a autossabotagem se encarrega de criar uma situação ou acontecimento que põe tudo a perder.

Uma gripe, um telefonema, uma noite insone, um parente doente, uma crise no governo, uma guerra no outro lado do mundo que faz com que seus clientes cancelem os pedidos…

Ou até pior. A autossabotagem pode lhe impedir de tomar as atitudes que você sabe que precisa tomar, mas simplesmente não consegue. É a famosa procrastinação.

Você se planeja, anota tudo direitinho, até mentaliza a situação, mas não consegue agir… Fica meses andando em círculos, sabendo o que precisa ser feito, mas sem forças para fazer.

Daí você se sente pior. Culpa-se pelo próprio fracasso, detona a autoestima e a autoconfiança.

Mas vamos entender e superar isso.

Como surge a autossabotagem

Acredito que todas as pessoas, em alguma medida e em algumas áreas, possuem crenças sabotadoras. Porém, algumas parecem sofrer disso bem mais do que as outras.

Por quê? Qual a origem desses pensamentos/sentimentos?

A autossabotagem é fruto dos pensamentos e crenças limitantes e da mentalidade de escassez.

Essas ideias são incutidas em nossa mente consciente e subconsciente todos os dias, mas de forma muito especial na infância, quando ainda não temos filtros para discernir bem as coisas.

E elas nos são passadas nas mais diferentes situações.

Podemos sofrer uma experiência traumática que nos deixa uma marca dolorosa na mente. Ou podemos receber vários conceitos equivocados, de pessoas até muito bem intencionadas, que vão moldando nossa maneira de pensar.

Como, por exemplo, que “pau que nasce torto morre torto”. Ou seja, não é possível acreditar em superação. Isso nos limita.

Crianças e adolescentes que crescem em um ambiente de muitas críticas e cobranças também podem carregar uma ideia de que nunca serão bons o suficiente.

Por mais que tentem, por mais que se esforcem, terão sempre uma palavra negativa e a sensação de que são um fracasso.

Há também situações extremas como violências e abusos que deixam mensagens marcadas em nosso subconsciente. Se não forem descobertas e tratadas, podem nos prejudicar por muitos anos.

Pensamentos e crenças limitantes

autossabotagem, pensamentos e crenças limitantes, desenvolvimento pessoal, autodesenvolvimento, ganhar dinheiro na internet

Nuno Cobra, em seu excelente livro “A semente da vitória”, afirma que temos uma criação muito limitante. Desde bebês somos acostumados a ouvir muitos NÃOS.

E as pessoas responsáveis por nós não o fazem por mal, contudo, crescemos ouvindo:

– Não ponha o dedo na tomada;

– Não pule da cadeira ou vai se machucar;

– Não ande descalço;

– Você não aguenta carregar esse cachorro. E por aí vai.

Somos desde pequenos desencorajados a experimentar o novo, a testar nossos limites, a dar vazão a nossa criatividade.

Veja bem, não estou falando em deixar as crianças soltas, fazendo o que bem entendem. Isso seria um erro.

Só quero que perceba como desde pequenos somos condicionados com o não. E às vezes, pais superprotetores ou mesmo neuróticos, acabam criando limites em excesso.

Há algum tempo ouvi uma parábola interessante:

Duas crianças patinavam tranquilamente em cima de um lago gelado. Até que o gelo cedeu em uma parte e uma das crianças caiu na água. A outra, desesperada, viu que não teria tempo de procurar socorro para seu amigo, que se afogava. Instintivamente pegou uma pedra e começou a golpear a superfície, até que conseguiu quebrá-la e resgatar o companheiro. Quando os bombeiros chegaram e viram a cena, ficaram boquiabertos. Não acreditaram que aquele menino franzino conseguira romper a dura superfície com apenas uma pequena pedra.

– Não é possível, como conseguiu? – perguntaram.

Um ancião que se aproximara para ver a cena respondeu:

– Eu sei como ele fez isso. Não tinha ninguém por perto para dizer-lhe que não era capaz.

Eu sei que é apenas uma historinha, mas acho que retrata bem essa questão das crenças limitantes.

Se uma pessoa cresce em um ambiente cheio de críticas, tem maior tendência a alimentar muitas crenças erradas a respeito de si mesma:

– Minha filha, caia na real, você não tem beleza suficiente para ser uma atriz famosa. (ideia: você não tem capacidade de superação)

– Odeio as filas do SUS, mas fazer o quê? Quem mandou eu nascer pobre?  (ideia: por ter nascido pobre, eu mereço sofrer)

– Você não faz nada certo! (ideia: você é um desajeitado)

Não é necessário dar muitos exemplos.

Creio que, se olharmos para dentro, lembraremos de muitas situações em que foi semeada em nós uma crença limitante. Alguma ideia ou atitude que disse: não podemos ou não merecemos. E que pode estar sabotando nossa vida neste exato momento.

Mentalidade de escassez

Este é um conceito muito interessante e que, basicamente, diz que não podemos ter duas coisas ao mesmo tempo.

Segundo essa maneira de pensar as pessoas têm sempre de fazer escolhas limitantes na vida, pois não se pode ser feliz completamente.

Ou você faz isso ou faz aquilo. Ou você deseja isso, ou deseja aquilo. Ou você é bonita e vaidosa ou é inteligente. Ou você tem um marido rico ou tem um marido carinhoso, etc. Não se pode querer tudo.

É, ao mesmo tempo uma forma de arranjar desculpas para um fracasso e também uma forma de inibir qualquer iniciativa que possa gerar maior felicidade.

Trata-se de uma grande expressão de autossabotagem. Deixe-me dar alguns exemplos.

Pessoas com mentalidade de escassez costumam afirmar:

prefiro estar obesa a ter de passar a vida fazendo essas dietas radicais, não tendo prazer para comer nada.

Mentira: você pode ter uma alimentação saudável e um peso equilibrado comendo de tudo um pouco, se exercitando e tendo uma vida prazerosa.

prefiro continuar no meu emprego mediano a ter um emprego com um ótimo salário e não ter tempo para curtir a vida.

Mentira: você pode buscar uma profissão que lhe traga bom retorno financeiro e lhe possibilite ter qualidade de vida.

é melhor ter essa vida louca, imprevisível e feliz a ter uma vida cheia de muitos compromissos e sem espaço para a alegria.

Mentira: você pode ter uma vida organizada, bem planejada e cheia de compromissos e ainda ser feliz em curto, médio e, principalmente, longo prazo.

São infinitas as situações. Mas o importante é saber que a mentalidade de escassez sempre se baseia no princípio do: Ganha/Perde ou do Perde/Ganha.

Ou seja, para conseguir alguma coisa, algo ou alguém tem de ser prejudicado. Para se ter algo, tem de se abrir mão de algum benefício.

A verdade é que pessoas que carregam mentalidade de escassez creem que tudo é limitado: os recursos, a alegria, as possibilidades.

Então, quando você ganha em uma área, necessariamente outra estará em prejuízo.

São pessoas também mais propensas à competição desmedida e à inveja, afinal, para eu me destacar, outro tem que descer. Para eu ser a melhor, outra tem de ser inferior. E chegam até a pensar: não é justo fulana conseguir tudo que deseja!

Pois bem! Essa é a mentalidade de escassez e a idéia do Perde/Ganha. Porém, isso é reversível. Você pode mudar tanto seus pensamentos limitantes quanto sua mentalidade de falta*.

*Para se aprofundar nesse assunto recomendo enfaticamente a leitura do livro: Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes, de Stephen Covey. Leitura mais que excelente!

como ser proativo, proativo, ser pro ativo, proatividade, autoconhecimento, desenvolvimento pessoal

Revertendo a situação

Tudo o que puder fazer, ou sonhar que pode, comece a fazer.

A ousadia traz em si inspiração, poder e magia. 

Goethe

Ok! Vimos como as crenças limitantes e a mentalidade de escassez podem nos levar a autossabotagem e como, inconscientemente, podemos sempre atrair situações e pessoas que irão atrapalhar nossos objetivos.

Mas a boa notícia é que podemos tratar e corrigir isso.

Eu não sou terapeuta, por isso não posso lhe sugerir nenhuma terapia específica para lidar com essa situação, mas posso lhe dar algumas dicas que lhe ajudarão a identificar e buscar a solução de seus problemas.

Dica #1 – reconheça a autossabotagem em seu dia-a-dia

Uma vez que você já sabe da existência desses pensamentos limitadores e sabotadores, sugiro que faça uma autoanálise e perceba situações em sua vida que parecem, inexplicavelmente, complicadas.

Alguma área em que, por mais que se esforce, não consegue ver resultados.

Ou acontecimentos repetitivos que sempre atrapalham um propósito seu, algum padrão destrutivo. Isso pode ser sinal de autossabotagem.

Vou dar um exemplo: conheço uma pessoa que, TODA VEZ que se propunha a estudar para um concurso, adoecia algum parente e ela tinha de passar dias a fio em um hospital.

Ficava super estressada e não conseguia se concentrar em nada. Isso tornou-se um padrão na vida dela. E o objetivo inconsciente era poupar-lhe da dor do fracasso por não ser aprovada.

Será que existe alguma coisa parecida em sua vida? Com sua dieta ou relacionamento? Reflita.

Dica # 2- Estude este assunto com interesse

Faça uma pesquisa mais profunda sobre o tema. Consulte blogs e leia artigos sobre o assunto. Na internet existe vasto material sobre isso.

Procure boas indicações de cursos e técnicas que poderão lhe ajudar a superar esses problemas. Há livros interessantes como “O poder do subconsciente”, de Joseph Murphy, que lhe ajudarão a entender melhor esse aspecto de nossa vida.

Faça o que estiver ao seu alcance para solucionar seus problemas. Tenha a mente aberta e, com discernimento e bom senso, procure o que possa lhe ajudar a ter uma vida melhor.

Dica # 3 – Quebre velhos paradigmas

Tenha coragem de lidar com seus sentimentos e de quebrar paradigmas. Vença seus preconceitos sobre autoconhecimento e assuntos afins. Não banque a durona que não acredita nessas bobagens.

Uma técnica simples é refutar toda ideia imobilizante. Identifique-as e conteste-as. Sempre que um pensamento de medo, de baixa auto estima quiser invadir sua mente. Reflita sobre esse pensamento e questione. Tipo:

– Eu acho que não vou conseguir passar nessa prova, é muito concorrida. 

Conteste: se eu me esforçar e criar uma técnica de estudo, sei que conseguirei. Muita gente consegue, eu também vou encontrar uma maneira de vencer isso.

Não consigo acordar mais cedo, meu cérebro não funciona antes do meio dia.

Conteste: tudo é uma questão de hábito. Eu não sou inferior a ninguém. Se tanta gente consegue ter disciplina para acordar mais cedo e realizar tarefas, eu também conseguirei. Vou me esforçar, vou errar as vezes, mas vou persistir.

– Sua uma burra, faço tudo errado!

Conteste: todas as pessoas de sucesso já sentiram o gosto do fracasso. Não existe erro pior do que não aprender com nossas falhas. Eu errei, mas vou acertar. Sou tão capaz como qualquer pessoa de sucesso.

A ideia é: questione todo sentimento paralisante. E siga em frente. Treine sua mente para pensar de forma assertiva.

Dica # 4 – Tenha um confidente com quem compartilhar suas crenças limitantes

Se gostou deste artigo, compartilhe com um/a amig/a. Quem sabe vocês possam conversar mais sobre o assunto e, juntos/as, buscar identificar esses tipos de problemas?!

Nada melhor que o olhar do outro para nos ajudar a enxergar coisas que, muitas vezes, nos passam despercebidas.

Você pode ajudar a si e a outras pessoas a conhecerem esses conceitos, identificar situações assim na própria vida e buscar soluções.

Dica # 5 – Desenvolva otimismo

Seja uma pessoa positiva e disposta a vencer. É importante desenvolvermos o otimismo e a crença de que tudo vai dar certo. Você não precisa nascer otimista, mas pode ser tornar uma pessoa assim.

Decida enxergar algo positivo em tudo e concentre-se na solução dos problemas, em vez de se focar no problema em si.

Releia essas cinco dicas e procure aplicá-las de forma consistente. Lembre-se de que os melhores resultados de nossa vida são frutos da paciência e da perseverança.

Dica bônus: uma maneira muito eficaz de lidar com isso

Uma técnica muito eficaz de lidar com isso é trabalhando com a visualização e as afirmações positivas

Sabemos que a autossabotagem acontece na mente, então, nada melhor do que treiná-la para trabalhar a nosso favor através de mecanismos como a lei da atração, por exemplo. 

Usar nossa imaginação para construir uma realidade que desejamos é segundo Napoleon Hill, uma das maneiras mais eficientes de criar a realidade que desejamos e desenvolver nossa fé.

Mas a verdade é que existem maneiras corretas de fazer isso. E eu recomendo explicitamente que você busque por elas. Então, leia este artigo aqui para saber mais.

como se automotivar

Conclusão

Muita gente não tem ideia da imensa capacidade que podemos comandar imediatamente quando focalizamos todos os nossos recursos para dominar uma área de nossas vidas. O foco concentrado é como um raio laser, capaz de cortar qualquer coisa que pareça estar detendo você.

Anthony Robbins

Diversas situações em nossa vida nos faz acreditar que não somos capazes de alcançar determinados desafios e sonhos. Trata-se da autossabotagem.

São padrões mentais que nos paralisam, que nos fazem andar em círculos sem nunca avançar em determinadas áreas.

Ou, simplesmente, nosso subconsciente trabalha contra nós, para nos “proteger” de situações que, por algum motivo, acreditamos que iria nos prejudicar tipo: o dinheiro não traz felicidade (lê-se: todo rico é infeliz).

Deste modo, nosso subconsciente tenta nos proteger, e acabamos sempre criando situações que frustram nossos sonhos e objetivos. Trata-se de um ciclo maléfico e silencioso.

Mas a boa notícia é que temos como identificar e eliminar essas crenças limitantes, e começar a romper em áreas que antes não conseguíamos. É preciso identificar esses pensamentos e usar técnicas para superá-los.

Espero sinceramente ter lhe ajudado a entender mais sobre esse assunto, e a criar mecanismos para superar esse problema! 

A verdade é que para destruirmos essas crenças, precisamos nos focar nelas, nesse objetivo. Por isso, recomendo também que leia este artigo aqui: Como ter foco na vida.


Se gostou deste artigo e acredita que poderá ajudar mais pessoas compartilhe. Gostaria muito também que deixasse seu comentário logo abaixo com dúvidas e sugestões sobre o tema.


E lembre-se: felicidade é problema seu. Resolva-se! :-)

Cintia Amorim

imagem:unsplash.com by bethany legg, gedfon.com

Author: Cintia

Cintia Amorim é escritora e empreendedora. Apaixonada pelo que faz e entusiasta em motivar pessoas.

Share This Post On

1 Comment

  1. Parabéns pelo excelente trabalho, me ajudou demais, agora preciso colocar em ação. Abraços, Deus lhe abençoe.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *